Início‎ > ‎

Reencontros


"Mesmo sendo a vida feita de tantos desencontros, agradeço a Deus pelos ENCONTROS, 
é deles que são feitos nossos momentos de felicidade!"  Damaris Ester Dalmas






São tantas histórias, selecionamos algumas que emocionaram
e deixaram saudade. 

Aos poucos estaremos agregando mais.


                































  

São milhares de pessoas localizadas através deste trabalho. Uma rede que não para de crescer. 

EM CADA HISTÓRIA UMA NOVA EMOÇÃO! 




"Que a esperança esteja sempre presente no coração daqueles que tem fé " (iab)









































https://sites.google.com/a/desaparecidosdobrasil.org/desaparecidos-do-brasil/_/rsrc/1406418739177/Home/reencontros/Reencontro-apos-35-anos-do-PR-a-Sergipe/reencontrossgosto.jpg?height=386&width=400

O que eu sei da minha mãe é muito pouco

postado em 16 de abr de 2015 13:31 por DESAPARECIDOS DO BRASIL   [ 16 de abr de 2015 13:32 atualizado‎(s)‎ ]

Cadastro em: 13/2/2014 18:11:56



""O que eu sei da minha mãe é muito pouco"" 
Maria Janaina (filha)


30 anos a espera de notícias da mãe!


A longa espera de Maria Janaína  para ver e abraçar sua mãe Maria Cecília está perto de um final feliz. Estamos torcendo muito para que este dia chegue logo porque ela  tinha apenas um aninho quando a mãe sumiu e a ansiedade é muito grande.

Após  a localizarmos em S. Paulo, enviamos as informações para a filha e
alguns meses se passaram.


"Boa noite gostaria de agradecer as todos vocês que me ajudaram a encontra minha mãe pois estou a um passo de encontra-la pessoalmente. Estarei me programando pra ir em São Paulo para vê-la ...Desejo a vocês tudo de bom e que Deus abençoe todos vocês, e logo que for em Pão Paulo estarei dando resposta do final desta história. " Maria Janaína - 
 
Continuamos torcendo muito por este grande dia. Deus abençoe e traga muitas alegrias
na vida de todos. Assim que tivermos novas fotos, postaremos.
/Amanda.



 
Status: Pesquisa realizada,
dados e fone encontrados e família informada.
Encontrada. (  2014 14:40
assunto: Re: Caso Maria Cecília Blassioli )


Pessoa desaparecida: Maria Cecília Blassioli

Desapareceu em:  1984 
Local: Belém /Pará

 Mãe biológica procuro 

Descrição: Verdes claro, cor branca, lisos claros.

 Bom dia , Estou procurando a mãe de minha esposa que sumiu desde 1984 cujo o nome é Maria Cecilia Blassioli, peço sua ajuda caso conheça, ela morava em Belém do Pará e depois foi para São Pulo e os pais dela são Italianos. Desde já agradeço genro Marcio de Souza Azevedo msa_1001@....com

**Concordo

Como nos conheceu: Google 

FOTO ATUAL























  FOTO  QUE A FILHA TINHA 1984

A saudade e a vontade de abraçar a mãe a levou a se inscrever em um programa de TV.

postado em 30 de mar de 2015 15:50 por DESAPARECIDOS DO BRASIL   [ 28 de jul de 2015 19:12 atualizado‎(s)‎ ]



Proibida a reprodução das histórias. Autorização por escrito  -  Direitos Autorais


Aos 3 anos Daysiane e sua irmã Francys

foram adotadas por alemães e levadas para
o Principado de Liechtenstein. 

O encontro delas está programado para acontecer em março/2015.


Este é mais um caso que nos chegou através da Marie-Claire,
da Endemol, para o programa de TV Vermisst que
relata histórias de desaparecidos.
Endemol Deutschland GmbH
Geschäftsführer: Marcus Wolter · Sitz der Gesellschaft: Köln 
Handelsregister: HRB 52848 · Amtsgericht Köln 
Redaktion
Para um programa de encontros da TV local.

Anexo ao lado.


Resumo:


Adoção realizada pela Vara Central de Menores da Comarca de São Paulo, capital, pelo Juiz de Direito Antonio Augusto Guimarães de Souza, que autorizou a viagem ao exterior,  ao Principado de Liechtenstein,  das menores Daysiane Priscilla Laurindo e sua irmã  Francys Susan Laurindo, acompanhadas dos tutores e futuros pais adotivos.  Segundo documento, a mãe biológica foi destituída do pátrio poder, sendo as duas crianças encaminhas para lar substituto./Em 30 de Junho de 1989.


Após localizar possível local de residência da D. Gilda, ainda levou alguns meses até conseguirmos falar com ela.  A encontramos no Facebook, porém não respondia às mensagens nem ao pedido de amizade.  O telefone que conseguimos no decorrer das pesquisas, também não atendia. Por fim, o momento esperado chegou.


Em Setembro, houve o esperado contato.



"Marie Claire,  eu falei com a Gilda.  Ela ficou muito emocionada!!!!
Ela quer muito ver a filha,  e ficou muito feliz com a notícia que a filha a procura.
Ela contou, que na época era muito jovem, não tinha apoio da família, e o juiz tirou a menina dela.
Daysiane tem mais duas irmãs.
Falei para ela que você vai ligar. Ela está muito ansiosa."
Amanda.





15/04/2014

Nome:  (Daysiane Priscilla Laurindo)

Nascença: 16.04.1986

Lugar: Saúde, São Paulo

Mãe: Gilda Laurindo


















Abril de 2014




Na guerra contra barreiras, um novo recomeço

postado em 14 de mar de 2015 10:15 por DESAPARECIDOS DO BRASIL   [ 28 de jul de 2015 19:10 atualizado‎(s)‎ ]


Proibida a reprodução das histórias. Autorização por escrito  -  Direitos Autorais


Da série: Onde Estão Nossas Mães? Veja mais...

Julho de 2012.


Ofri 
3/8/2012 18:19
"Estou tão feliz e triste ao mesmo tempo, é uma responsabilidade muito grande depois de quase 27 anos, mas eu não posso esperar para ir visitá-los no Brasil. eles são o meu sangue 
thank you for all your help, you girls are angels!"


Muitas situações ocorreram a partir da sua vinda ao Brasil. Barreiras com o idioma, a diferença cultural, a pobreza estrema em que viviam suas irmãs e muitos problemas pessoais que ele próprio enfrentava, tiveram que ser superados.



Aos 26 anos, Ofri, que cresceu em Israel,  sonhava também conhecer sua família biológica que estava  distante, do outro lado do oceano, em Navegantes, no Sul do Brasil onde ele nasceu. Ele  faz parte de um grupo de milhares de jovens, adotados ainda bebês por casais estrangeiros e que desejam conhecer sua origem. Desde 2009 Desaparecidos do Brasil tem ajudado estes jovens, cujas adoções foram irregulares, a encontrar suas origens.

Ele já havia pedido ao Adv. Carlos C. Pereira, que foi quem realizou a adoção dele, se ele o ajudaria a encontrar a família, mas teve o pedido negado.

Quando encontrei a pista da sua mãe biológica, D. Marivone Sedrez, soubemos que ela já era falecida mas deixou muitos filhos. A história é envolta em dramas. Marivone  teve 14 filhos, perdeu um de 3 anos, dois assassinados  e outro morreu em acidente de moto. Ficou viúva, mas muito doente veio a óbito. Sua filha mais velha  passou a cuidar dos irmãos e irmãs.
Ofri, segundo depoimento, foi dado ou vendido pelo próprio pai ainda bebê.  Em Israel, para onde foi levado, teve uma  vida de farturas, muito diferente  dos seus irmãos, porém não parecia feliz.
Assim, que recebeu notícia da sua família, decidiu viajar imediatamente.


Amanda iab / Boldeke


-






Foto imagem/arquivo família/ internet.
Acima: Chegada de Ofri em Israel.
c/casal Cesário


Ofri com as irmãs no Brasil




Inbal o sonho adiado

postado em 14 de mar de 2015 07:59 por DESAPARECIDOS DO BRASIL   [ 28 de jul de 2015 19:11 atualizado‎(s)‎ ]


Proibida a reprodução das histórias. Autorização por escrito  -  Direitos Autorais


ADOÇÃO INTERNACIONAL - ORIGEM BRASIL - DESTINO ISRAEL (Ano 1992- após o ECA) 

Relacionado: Onde Estão Nossas Mães? / Apelo dos Jovens Traficados 




INFORMAÇÕES - contatodesaparecidos@gmail.com Assunto: Caso Annabelle

17/06/2013 - FAMÍLIA ENCONTRADA - mãe nega que teve filha - Necessidade de um exame de DNA







"Queria saber se vocês podem me ajudar encontrar a minha biológica mãe.
Tenho aqui duas fotos que tiraram antes de eu chegar em Israel,a uma com meu adotivo pai e a outra com a mulher que era a esposado advogado Carlos (eles já divorciaram). " Foto ao lado)





17 - 06 - 2013 

"Olá  Inbal,  tudo bem?

[...] Somente hoje conseguimos finalmente conversar com sua família. 
Infelizmente Inbal, nem sempre a notícia é aquela que gostaríamos 
de dar.  Conversei com Claudete, mas ela disse-me que não é a 
sua mãe biológica, porque ela nunca teve uma filha mulher. [...]"


MINHA CONVERSA COM CLAUDETE - Junho 2013

Conversei com Claudete por telefone. Ela mora em Balneário Piçarras/SC.  Mostrou-se surpresa ao saber da história e afirmou que nunca teve uma filha mulher.
Quem teve uma filha que foi doada, foi a irmã dela, que se chamava Salete e é falecida.
A  Claudete contou que a Salete doou outros três filhos e que estes estão no Brasil. 
A Claudete tem  dois filhos, o Bruno e o Pedro Henrique.

Após a conversa, ainda tentamos a aproximação da Inbal com a família biológica.

Em conversa com a nora da Claudete, a Francielly, após várias tentativas de elucidar o caso, pedi que disponibilizassem uma foto da Salete para a mãe adotiva da Inbal fazer o reconhecimento, pois a conheceu. Não enviaram a foto e não nos responderam mais.




RESULTADO DA NOSSA PESQUISA PELO NOME DA CLAUDETE

NOME: CLAUDETE LENIR DE FIGUEIREDO  (mesma pessoa, apesar do sobrenome)
NOME DA MÃE: JOANA DE ESPINDOLA POSSIDONIO
Balneário Piçarras-SC

Observação I - Claudete tem um filho de nome Bruno com o mesmo mês de nascimento da Anabelle ( Inbal) 05/04/1991

Observação II -  No Registro de Nascimento original da Anabelle, constam como avós maternos Joana de Espíndola P e Pedro Possidonio.

Consta ainda que Anabelle nasceu em domicilio em Correia Pinto -SC - Parteira: Maria de Lourdes Kuster Schorder



Nome biológico:  Annabelle Possidonio

Nome adoção:  Inbal Ben Meir 

Nascimento: 17.4.1991 em  Correia Pinto SC,

Mãe biológica: Claudete Leni r Possidonio natural de Penha Itajaí SC. 

Segundo Inbal, advogado que cuidou do caso foi Carlos Cesário Pereira. Por volta de 2002, ela veio morar no Brasil, em Balneário Camboriú, com o pai, onde permaneceu por 2 anos.

Ela conta que Cesário e o seu pai eram amigos e ele (Cesário) foi visitá-los em Israel algumas vezes.

Relato:



DOCUMENTO (transcrito conforme o documento)

PODER JUDICIÁRIO COMARCA DE RIO DO SUL SC

Oswaldo Henrique Pisa Marhofer, escrivão, certifica  constar autuação sob Nr.27/92, na data de 19 de fevereiro de 1992, um pedido de adoção, por um casal israelense, e que o referido processo acha-se concluso para o MM do Juiz de Direito da 1ª Vara designar [...]

Rio do Sul, 27 de fevereiro de 1992. Assina o escrivão acima mencionado.


ESTADO DE SANTA CATARINA PODER JUDICIÁRIO - MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE SANTA CATARINA - PROMOTORIA PÚBLICA.

Cartório de Órfãos e Ausentes - Rio do Sul - SC FLs 75

... israelenses pretendem adotar uma criança do sexo feminino, tendo já conhecido Anabelle Possidonio, nascida em 17/04/1991, filha de Claudete Lenir Possidônio, que mora na Travessa Paulo Ledra, 62 em Rio do Sul, SC.

Anexam documentos de Folhas 06 a 48, foi ouvida a mãe biológica e recebeu o parecer do Ministério Público.

Cuida-se de pedido de adoção, que não seguiu inicialmente as determinações legais previstas pelo Estatuto da Criança e do Adolescente. Todavia, depois restou, sanada a irregularidade.

...a mãe da adotanda, às fls 50v/51, esclarece que quer dar em adoção, slua filha menor aos requerentes, inclusive fez a entrega  antecipada, de forma irregular, pois não tem condições de manter e educá-la, pois o pai é desconhecido, que após um mês de relacionamento a abandonou e está ciente que sua filha será levada para Israel..eetc

Rio do Sul, 18 de Março de 1992

Assina  Ronaldo Reiner - Promotor de Justiça

-------------

REGISTRO CIVIL - CARTÓRIO DE CORREIA PINTO MUNICÍPIO DE LAGES-SC

ANOTAÇÃO NO REGISTRO DE NASCIMENTO "A registrada é a primeira na ordem de filiação e a mãe tinha 31 anos na época do nascimento"  

PS- Este registro de nascimento da Anabelle Possidonio, data de 14/02/1992, quase um ano após seu nascimento.







Fotos Arquivo Família/ Cedidas p/ uso deste site.

    Pai adotivo

Abaixo: Declaração com assinatura de Claudete Possidônio
https://sites.google.com/a/desaparecidosdobrasil.org/desaparecidos-do-brasil/adocoes-internacionais-irregulares/_draft_post/declara%C3%A7%C3%A3o.jpg

Tristeza e espera pelo DNA para acalmar seu coração aflito

postado em 12 de mar de 2015 08:23 por DESAPARECIDOS DO BRASIL   [ 3 de out de 2016 07:19 atualizado‎(s)‎ ]


 
Proibida a reprodução das histórias. Autorização por escrito  -  Direitos Autorais

 
 
 Participação especial no documentário da TV Israelense  sobre os adotados. Veja aqui 


Atualizado 03/10/2016 - Através de contato telefônico em 02/10/16, da pessoa cujo nome consta como mãe biológica de Reut, e que passaremos a citar apenas as iniciais,   nos foi pedido a retirada de  todos os dados  desta pessoa e de sua filha do site ao que atendemos prontamente. Também informaram que estão abertas para a realização de um DNA, quando Reut vier ao Brasil.
-----------------------------------------------------------------------------------------------------
 
2013 - Caso Reut (Reot) Caso complexo de adoção internacional,
onde a suposta mãe biológica ao ser localizada nega ser mãe da
Reut, apesar de constar seu nome nos documentos de
adoção. Esta suposta mãe, tem outra filha natural, com a mesma
data de nascimento.
 
 OBSERVAÇÃO: Sabendo da sua história de adoção internacional, a jovem Reut nos procurou para ajudarmos na busca da sua família biológica, a qual localizamos em Curitiba. Reut deseja realizar o exame genético DNA com esta mulher que afirma não ser sua mãe, apesar dos documentos citarem seu nome. Ficamos a disposição para ajudar no que for necessário para esta intermediação.
 


    RELATO
"Meus pais desembarcaram no Brasil e eles não se recordam do nome do hotel onde passaram a primeira noite . Ela se lembra do primeiro momento em que a mulher entrou na sala de telefone não parou de tocar e pediu-lhes que filho que você quer? Quantos filhos? Mamãe chamou o advogado e disse-lhe , disse-lhe que os chamadores próxima vez que dizem que está relacionado a ele e parar de incomodá-la . E assim foi . Já no dia seguinte, eles foram para um hotel chamado Del Ray. Ficaram os meus pais no Brasil por quase dois meses , fez uma incursão no hotel onde estavam hospedados após o tráfico de crianças e passou a investigação da Polícia Federal . Hospital de cesariana e de acordo com os documentos listados é
Minha mãe me diz maternidade Modelo deu à luz"  (Cópia do original)

 

 
 
Nome: Reot Gimbarski  
Nascimento: 28/12/1984

 MÃE BIOLÓGICA (consta no documento da Reot):  N. G. P. R. 

Observação: Nomes e documentos da suposta mãe biológica foram retirados deste site a pedido da filha natural de NGPR

OUTRAS OBSERVAÇÕES:

Mãe biológica localizada em Curitiba afirma não ser a mãe da Reut e não sabe como seus documentos foram parar com os pais adotivos da jovem.

Documentos: Entre os vários documentos de adoção que Reut possui, consta inclusive uma cópia do Tít. de Eleitor da Sra **N .


Nosso contato com a família da SUPOSTA MÃE em 2013.

Conturbado. Diferente das reações de outras mães, nas mesmas circunstâncias, com a qual já mantivemos contato.  A sra. *N, ao ser informada que uma jovem de Israel, adotada em 1984, a procura por ter seu nome nos documentos de adoção, negou que tivesse essa filha.  Não soube explicar porque seu nome constava naqueles documentos,  tampouco o  porque das  supostas irmãs terem a mesma data de nascimento, acreditando que pudessem ter sido roubados . Inicialmente  se negou a fazer um DNA. Em uma segunda conversa  disse que concordava com o exame.  Não quis falar muito,  passou para a filha **, Esta é advogada e sua procuradora, segundo ela, e pediu que não  a procurássemos mais.  

Reut aguarda uma solução. Ela deseja saber quem é sua mãe. 

É preciso desvendar o mistério  das datas de nascimento iguais e dados da documentação. Gostaríamos  da colaboração da D. *N e sua filha natural, que é advogada,  para elucidar os fatos e desvincular suas informações desta adoção irregular ligada ao tráfico de bebês. Para tanto, é necessário abrir um inquérito para apurar os fatos e exames de DNA materno e das duas jovens.

O caso é da Arlete Hilu, (Chefe de famosa gang que traficava bebês nos anos 80)  intermediado pelo Calabresi. A Reut disse que  seu parto foi cesária, segundo os pais adotivos lhe disseram  e nasceu no Hospital Modelo em Curitiba.

A suposta mãe Bio reside em  Curitiba atualmente. 

::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::

 Outro caso semelhante. Filho  adotivo chama-se Shay ( Israel) a mãe adotiva segundo documentos chama-se  Wandete (Ctba) que igualmente nega ter esse filho. 

Nos dois casos  a suposta família biológica tem alto poder aquisitivo, diferente da maioria das outras mães biológicas cujos filhos foram adotados e são muito pobres. 

Documentação/ conversas /  estão em arquivo a disposição da Justiça.

Informações - contatodesaparecidos@gmail.com

 

 

 

 
 






CARTA DE REUT


שלום,


שמי רעות, לאחרונה החלטתי שאני רוצה לאתר את אמי הביולגית, הבנתי שזה לא פשוט לאתר את המשפחה הביולוגית, ואני מבקשת את עזרת האתר במציאת המשפחה הביולוגית שלי. 
במייל הקודם צרפתי את מסמכי האימוץ שלי, ואני מקווה שתוכלו לעזור לי.

אני נולדתי בסוף 1984 במדינת פאראנה, ברזיל, ואומצתי מיד לאחר מכן ע"י משפחה ישראלית שהגיעה לברזיל כדי לאמץ אותי. לפי מסמכי האימוץ שלי אני ננטשתי ע"י האמא הביולוגית והועברתי למשפחה אומנת, עד לרגע האימוץ שלי. 
תודה רבה שאתם נמצאים, ועוזרים לנו!
רעות
Portugues: 
Ola,

Meu nome eh Reut, recentemente decidi que eu quero localizar minha mãe biológica' entendi que a busca pela família biológica nao eh tao fácil, e estou pedindo a ajuda do site ( DESAPARECIDOS DO BRASIL ) na localização da minha família biologica.
No ultimo e-mail eu adicionei e enviei os meus documentos de adoção, estou rezando para que vocês conseguirem me ajudar.

Eu nasci no fim do ano 1984, no estado do Parana, Brasil, e pouco tempo depois fui adotada por um casal Israelense que veio para me buscar e adotar no Brasil. De acordo dos meus documentos de adoção eu fui abandonada pela mãe biológica e, , enquanto os meus pais adotivos estavam a caminho para me adotar no Brasil, uma família desconhecida cuidou de mim, ate a autorização do processo de adoção pelo juiz e, depois mudei para viver, ate hoje com os meus pais adotivos.


Muito obrigado por existir e nos ajudar!

O Cristiano era muito doente e ela não tinha condições de cuidar dele

postado em 10 de mar de 2015 11:32 por Amanda iab   [ atualizado em 28 de jul de 2015 19:08 por DESAPARECIDOS DO BRASIL ]


Proibida a reprodução das histórias. Autorização por escrito  -  Direitos Autorais


A longa espera da mãe  para rever o filho doado para um casal italiano.


Angélica ouvia sempre a mãe falar do filhinho que ela foi obrigada a deixar com a assistência social, porque ele era muito doente e ela não tinha condições de cuidar dele.  Angustiada com a tristeza da mãe, ela resolveu pedir ajuda para encontrá-lo.

''ELES PROMETERAM QUE  MANDARIAM NOTÍCIAS ..."


"Minha mãe tinha quatro filhos mas o Cristiano era muito doente e ela não tinha condições de cuidar dele, então ela levou ele para a assistência social e pediu para eles cuidarem do Cristiano. Um certo dia, uma funcionaria da assistência social junto com o padre e um casal de Italianos chamados Domenico Cerute e Flávia Stagnole vieram até a casa da minha mãe e conversaram com ela para adotar o Cristiano. Minha mãe aceitou porque ela não tinha condições de cuidar dele e o casal falou que iria trazer ele para minha mãe conhecer quando ele completasse dezoito anos mas ate hoje não sabemos noticias dele. A minha mãe está até hoje esperando ele vir para vê-la.  As últimas informações é que ele mora na Italia na cidade Brescia via Galia." (Angélica em 2/jan/14)


O DESAFIO DE ENCONTRAR UMA PESSOA EM OUTRO PAÍS

Uma foto, um nome, uma provável cidade num país distante. Quase duas décadas  depois, localizar uma pessoa não é tarefa simples.  O que dificultou mais foi o sobrenome não estar correto, o que levou a outras pistas mas, com a graça de Deus, consegui localizá-lo. 

Reunir irmãos  e tranquilizar o coraçao de uma mãe é sinônimo de felicidade e para nós mais um motivo para seguirmos adiante, fechando laços em grandes abraços.



SETEMBRO DE 2014

O REENCONTRO 

CRISTIANO VEIO AO BRASIL E A FOTO REGISTRA ESTE MOMENTO ÚNICO NA FAMÍLIA BOAVENTURA E CERUTTI.



Amanda/iab/boldeke





OOOOOoOOOO





Cadastro no site em 2/1/2014 17:06:54
Pessoa procurada Cristiano. Cerute Stagnole
Mãe: Flávia Stagnole
Idade: 19 anos
Desapareceu em: 1996
Local: Nova Venécia ES

Caso:  Criança desaparecida


Parentesco: irmã biologica
Seu nome: Angélica da Conceição Boaventura

Concordo com os termos de uso
Como nos conheceu:  Google

https://sites.google.com/a/desaparecidosdobrasil.org/desaparecidos-do-brasil/procuro-minha-familia/cristianocerutestagnoleencontrado/Cristiano-Ceruti-Ang%C3%A9lica.jpg

Cristiano, no colo  dos pais adotivos.

Na procura pela mãe, encontramos e reunimos uma grande família

postado em 9 de mar de 2015 16:58 por DESAPARECIDOS DO BRASIL   [ 28 de jul de 2015 19:09 atualizado‎(s)‎ ]



Da série - ONDE ESTÃO NOSSAS MÃES?  O Drama vivido por milhares de jovens israelenses levados quando bebês do Brasil  para Israel.


26 anos de idade e um desejo: Saber quem é a mãe, onde ela está, como ela é!  

Foi com este pensamento que Yoav de Israel, em início de agosto de 2012, resolveu mandar-me um recado, via mensagem pelo Facebook,  dizendo o seguinte:

Desaparecidos do Brasil


"Hello Amanda,
My name is Yoav, i was adopted from brazil in 1985 & live in Israel.[...] i was hoping maybe you could kindly help me in my search, as i failed so far finding contacting my biological family on my own...[...]


Apenas uma data de nascimento e o nome da mãe biológica. Na certidão de nascimento a informação que nascera em Bombinhas/SC.











Nosso primeiro resultado pela busca   da mãe desse jovem  foi um choque: Ela havia entrado em óbito em 2003, em Alvorada/RS. 

Como dar uma notícia dessas para um filho  cujo sonho era conhecê-la?
Conversamos sobre isso, Sandra Chialastri e eu e decidimos  ir atrás  da família biológica e descobrir se não haveriam irmãos, pelo menos teríamos algo positivo para apresentar à Yoav.

Tarefa difícil. A família Della Costa é muito grande e fizemos uma lista extensa com  nomes de possíveis parentes, aos quais fomos  telefonando e descartando a medida que nos diziam não conhecer  nenhuma pessoa com o nome de Maura Ivone.

Os dias se seguiam e os resultados negativos iam se acumulando mas continuamos firmes no propósito com esperança de encontrar algum filho ou parente de Maura Ivone.

Em 20 de agosto, numa última tentativa,   decidimos enviar uma correspondência em nome  do Desaparecidos do Brasil, à ouvidoria da Prefeitura de Erechin,RS, solicitando informações sobre tal família, pois  havia indícios que seriam daquela cidade.

Qual não foi a minha  grande surpresa ao receber, quase que imediatamente, uma ligação da Michele Onhatte, responsável pelo setor da Prefeitura, ao qual eu escrevera a menos de uma hora atrás.  

Ela interessou-se em saber do que se tratava e expliquei à Michele  que havia uma pessoa no exterior em busca da família biológica e ela não mediu esforços  para nos ajudar, localizando, em pouco tempo,  Darlise uma prima de Yoav.

Uma porta se abriu! Coisas assim só acontecem por uma força superior, de outra forma não seria possível tal resultado.

Darlise inicialmente ficou surpresa com a história de sua tia que ela  não via desde criança, sabia que ela havia falecido mas não conhecia seus filhos. Encantou-se com a história de Yoav e  imediatamente foi atrás  do paradeiro dos outros primos, filhos de sua tia Maura, localizando-os em Porto Alegre, RS.

É uma linda história, Maicon o mais velho,  tornou-se o responsável pelos demais irmãos e também recebeu maravilhado  a notícia  desse novo irmão em Israel.

Agora já tínhamos uma família para apresentar para Yoav e assim o fizemos.  Eles já estão em contato, já se comunicaram por mensagem apesar da dificuldade  dos idiomas e  Yoav pretende aprender português para facilitar a comunicação entre eles.

Desejamos que sejam todos muito felizes.

Agradecimentos à Sandra M. Mendonça, Andrea Marcondes e  especialmente à pessoa de Michele Onhatte, da ouvidoria da Prefeitura de Erechim/RS, um exemplo de profissionalismo e solidariedade humana, cuja ajuda foi fundamental. 


I.Amanda Boldeke e Sandra Chialastri -
28/08/2012


Proibida a reprodução das histórias. Autorização por escrito  -  Direitos Autorais



A HISTÓRIA DE YOAV FOI DESTAQUE NO JORNAL BOA VISTA - RS
em Nov/2012  
Link da matéria  ... Jornal Boa Vista




Yoav Desaparecidos do Brasil





Emocionante reencontro Foi separado da mãe quando tinha 2 anos

postado em 9 de mar de 2015 14:46 por DESAPARECIDOS DO BRASIL   [ 28 de jul de 2015 19:06 atualizado‎(s)‎ ]


15/11/2012
Proibida a reprodução das histórias. Autorização por escrito  -  Direitos Autorais



EMOCIONANTE!!

Ele foi trazido para  Santa Catarina, pelo pai, quando tinha 2 anos e nunca mais viu a mãe.  28 anos se passaram.


Dia de GLÓRIA hoje... !! ENCONTRAMOS a mãe que foi separada do filho há 28 anos atrás, quando ele tinha apenas dois
anos. O pai levou o menino e nunca mais, durante quase três décadas, essa mãe conseguiu revê-lo... Procurou todos esses 
anos e chegou a pedir ajuda a sites de procura...

Leia Carlini Fernandes Ferreira  sabia da tristeza do marido que  sonhava muito um dia conhecer sua mãe. Comovida, decidiu ir a luta e ajudá-lo a realizar o grande sonho e foi assim que, na semana passada, recebi uma mensagem dela, contando toda a história.

Eles moram no Sul, em Joinville, SC e  Leia colaborou bastante seguindo nossas orientações. Em poucos dias, após muitas pesquisas e ligações para possíveis  pessoas que pudessem conhecer a D. Iolanda, a encontramos  em Sinob, MT (2300 km de distância) .

Liguei para ela!  Falei que o filho a estava procurando... 
Ela muito emocionada disse: DEUS OUVIU MINHAS PRECES...!

Hoje o dia foi só emoção! 
Passei a grande notícia para a Leia e ela ansiosa esperou o marido chegar do trabalho. 
— Foi bastante emocionante, o coração bateu mais forte. É algo que não tem como explicar. Saber que ela está viva, que vou poder abraçá-la — disse, com os olhos se enchendo d’água. Emocionado, Edenilson ligou para Iolanda e já a chamou de mãe.

— Eu disse alô, é quem? Oi, mãe, é o Edenilson... — lembra, parecendo ainda não acreditar.

Os doisonversaram longamente por telefone. Infelizmente a D. Iolanda não tem computador e  esta aproximação está mais difícil. 
Eles agora já sonham de se encontrar mas a distância e o custo da viagem são outro desafio a vencer. São 2.300 km de distância!

E assim é a vida. O destino separa e Deus une.

Conto esta história para que vocês que procuram o filho, a mãe, o pai, o irmão,  enfim... Tenham sempre a ESPERANÇA NO CORAÇÃO, porque para Deus não existe o impossível.

Edenilson descobre que tem seis 'novos' irmãos por parte de mãe. Não cabe em si de tanta felicidade.

Vamos torcer para que eles possam se encontrar, matar a saudade e tirar muitas fotos para postarmos aqui o reencontro tão esperado.

Nas semanas seguintes, fiquei comovida ao ver que Edenilson embora muito feliz, também estava frustrado por não ter meios de ir correndo  para os braços da mãe e dos irmãos.

Falei com um amigo, o Major Claudino da Polícia Militar de Florianópolis e lhe contei a história do Edemilson e da Iolanda, das dificuldades  e anseios e das passagens muito caras para ir ao encontro da mãe.

Solícito, conseguiu patrocínio, passagens de avião para o Edmilson e sua esposa Leia. Como ele  não poderia faltar ao trabalho, ficou combinado de irem nos dias de Natal.

 





Mãe - Iolanda Bonfim Ferreira (MT)
Filho - Edenilson  B Ferreira  (SC)
Nora - Léia Ferreira   (SC)

Sandra Chialastri  (in Memorium) 
e I.Amanda Boldeke 


"Histórias como esta nos compensam pelas agruras que enfrentamos neste mundo do voluntariado, onde normalmente colhemos mais espinhos do que flores . Não queremos aplausos, nem luzes, apenas registrar um trabalho que é feito de coração, sem benefício próprio algum, porém quase sempre esbarramos na intolerância, no egoísmo e interesses de terceiros que além de desmerecer nosso trabalho e nos empurrar para baixo, ainda querem tirar vantagens em cima daquilo que fazemos. Felizmente a lei suprema da vida se encarrega de separar o joio do trigo e nos premia com verdadeiras amizades que fazem tudo valer a pena. "
I.Amanda Boldeke
Dez/2012





Reencontro após quase três décadas

Fotos do reencontro de Edenilson com a mãe Iolanda,  

em Mato Grosso do Sul no Natal de 2012 
          


reencontro edenlson com a mãe no MS Desaparecidos do Brasil















Da Alemanha um pedido de ajuda

postado em 2 de mar de 2015 18:41 por DESAPARECIDOS DO BRASIL   [ 28 de jul de 2015 19:05 atualizado‎(s)‎ ]




Cadastro em 16 de abril de 2014 07:44

Pedido de ajuda enviado  através da Marie-Claire Thomas - 
Endemol Deutschland GmbH
Geschäftsführer: Marcus Wolter · Sitz der Gesellschaft: Köln
Handelsregister: HRB 52848 · Amtsgericht Köln 
Redaktion
Para um programa de encontros da TV local.


Histórico:

 Karina Stodieck,  nascida em 1989 na cidade de Perelheiros, SP, foi adotada em 1991 

através da MAMÃE - ASSOCIAÇÃO DE ASSISTENCIA A CRIANÇA SANTAMARENSE, por um casal de alemães e passou a morar na Alemanha sem nenhum contato com a família biológica.


Enquanto os anos passavam,  Karina Karina sonhava conher sua família no Brasil. Um dia surgiu uma oportunidade. Ela se inscreveu em um programa, de uma emissora de televisão local, que promove encontros e sua história foi escolhida.


Marie-Claire com quem já tivemos contatos anteriores nos procurou para que a ajudássemos na busca pela família de Karina.


Em uma semana passávamos os dados para a Marie-Claire.


FAMÍLIA LOCALIZADA.


No dia 24 de abril  encontrei o Wagner, que é sobrinho dos pais da Karine, portanto o primo dela. Falei com ele, mas conversamos pouco porque ele estava no trabalho.

Logo mais a noite telefonei novamente. Ele  falou  sobre a familia e contou que  o pai e mãe  da Karina já são falecidos. A mãe faleceu cerca de 5 anos atrás, doente queria muito encontrar a filha e pedir perdão por tê-la doado e explicar que na época ela não tinha como sustentar seus filhos. Segundo Wagner, a mãe criou os outros filhos sozinha. Era uma guerreira.

Karina tem duas irmãs, Andréia, Tais a caçula e um irmão, o André. Andréia está grávida de 5 meses.

Conversei muito com Andréia. Uma pessoa maravilhosa.

Como ela já estava de 5 para 6 meses de gravidez, a equipe do programa  preferiu esperar pelo nascimento do bebê,  receosos que a grande emoção do reencontro pudesse causar algum dano à saúde de Andréia.

I. Amanda Boldeke (iab)

MUITA EMOÇÃO NO REENCONTRO DAS TRÊS IRMÃS

 O ENCONTRO - Outubro de 2014

Em outubro aconteceu o grande encontro com Karina no Brasil, trazida pela equipe do programa.
Cenas da gravação. Vídeo ao lado.











---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------










































Proibida a reprodução das histórias. Autorização por escrito  -  Direitos Autorais




Foto cedida à Desaparecidos do Brasil pela Marie-Claire.
Pedido de Karina externando seu desejo de encontrar 

a família.





~


























EMOCIONANTE..!!!







~~~~

Ivani esperou 55 anos para rever o irmão e irmãs

postado em 1 de mar de 2015 16:55 por DESAPARECIDOS DO BRASIL   [ 4 de nov de 2015 08:37 atualizado‎(s)‎ ]


 
COM 5 ANOS, ELE E AS IRMÃS FORAM ABANDONADOS NAS RUAS DA CIDADE 
 

UM ANO DEPOIS...
Muito triste ao receber a notícia do falecimento repentino de Dona Ivanilde,
por enfarto.   Foram 55 anos separada dos irmãos, mas acredito que
  nesse  ano pós reencontro,  ela pode viver momentos de felicidade extrema. (Amanda)

.... 

 Seu Ataíde, mora em SP Assis, e tinha o desejo de reunir todos os irmãos, separados  ainda pequenos quando a mãe os abandonou em Paranavaí, no Paraná. Faltava Ivani, que ele não tinha a menor ideia de onde  estava. 
Um dia contou seu desejo para o amigo Daniel, que pegou os dados, anotou em um papel e passou o apelo para a internet, na rede social Facebook. 
Vendo o apelo, nos empenhamos em fazer pesquisas e encontramos a dona Ivani em Curitiba.  Tentamos alguns telefones que já estavam desativados até chegar  ao contato dela.
 
Primeiro liguei para d. IVANI. Já era noite e após as apresentações de praxe perguntei se ela conhecia alguém com o nome de Ataíde.  Foi um longo silêncio. Ao responder, ela estava em prantos. A emoção foi muito forte.  Ao saber que era procurada por ele não conseguiu mais falar. Depois, mais calma, contou que era o grande desejo de sua vida encontrá-los e já havia tentado de todas as formas e nunca  conseguiu  qualquer notícia.

Em seguida eu ligaria para o seu Ataíde. Conversei longamente com ele, contei sobre a emoção da irmã e desejo de ir correndo ao encontro dele. Foram duas longas ligações com ela e com ele repletas de emoção. 
Acompanhe  a gravação do reencontro. Emocionante!



. Grata Ivani pelo depoimento. Felicidades!!

Agradecimentos à todos que ajudaram na concretização desse sonho.
 
 
-

Emocionante reencontro após 55 anos.mp4

      
Proibida a reprodução das histórias. Autorização por escrito  -  Direitos Autorais
                                                                                                                                                                                                                                            
 


1-10 of 26