Artigos‎ > ‎

Quanto vale uma criança no Brasil?

postado em 28 de jan de 2013 18:26 por DESAPARECIDOS DO BRASIL   [ 29 de jan de 2013 11:30 atualizado‎(s)‎ ]

Quanto vale uma criança no Brasil?::

Aqui no Brasil, uma criança vale bem menos que um automóvel!
Não se assuste, é a mais pura realidade.

Original escrito em 2008 / iab / Desaparecidos do Brasil


Criança:
Não existe um cadastro nacional de crianças desaparecidas com estrutura para manter atualizado os casos de desaparecimento no país.

Não existe intercâmbio entre as delegacias para a troca de informações sobre crianças desaparecidas nos respectivos estados.
Não existe um sitema de ALERTA Nacional eficiente que atue no momento em que a criança desaparece.
Não existe um banco de dados nacional com informações atualizadas das crianças que desaparecem diariamente e nem das que vo
ltam para casa.
Não existe um número real dos casos de crianças desaparecidas . O MJ e REDESAP afirmam: no Brasil não existem dados oficiais que determinem a quantidade de crianças e adolescentes desaparecidos anualmente..
Não existe cooperação entre os estados e governos em relação a este problema.


Automóvel:

Existe um sistema de ALERTA, onde após denúncia de crime recebida por postos ou viaturas, as informações são imediatamente repassadas para todas as viaturas e postos do estado onde ocorreu o crime e também para os estados vizinhos.

Existe na PRF(Polícia Rodoviária Federal) 90% de postos informatizados e conectados via rede, onde o ALERTA torna-se uma importante ferramenta por proporcionar informação imediata e comunicação eficiente, contribuindo para o sucesso da ação policial na recuperação do veículo.

Existe na PRF um sistema de informações unificadas do governo, o INFOSEG, onde são disponibilizados dados sobre indivíduos, armas, CNHs, veículos, antecedentes criminais e mandados de prisão.É a corporação que tem o maior número de consultas no país.

--------------------------

Moral da história...

Tecnologia e eficiência existem, quando há interesses lucrativos envolvidos na questão.


Comments