Primeira VITÓRIA - caso das crianças sequestradas.



Ela se chama Alair e é uma das mães que tiveram seus filhos sequestrados a 26 anos atrás. Logo ao nascer, o bebê foi enviado ao exterior e lá adotado por um casal muito bom de israelenses.

A criança, uma menina, sempre soube do seu passado, que era nascida no Brasil, e hoje, já adulta, chegou até nosso pequeno grupo de voluntárias com a esperança de encontrar sua mãe biológica.

Meses e meses de pesquisa, pela internet e em bibliotecas empoeiradas buscando pistas  através de antigas publicações em jornais. Finalmente esta semana, a primeira esperança!  E lá fomos eu e a amiga Isaura, representando nossas outras companheiras (os) do grupo ( Sandrinha, Cléo, Andréa, Mônica e Lior) e seguimos para Bombinhas/SC, Isa saindo de Curitiba e eu de Floripa, nos encontramos lá.

A viajem, cheia de contratempos, um dos ônibus atrasou e perdemos o horário de almoço da ALAIR que estava no trabalho. Tivemos que esperá-la encerrar o expediente e só a tardinha então, pudemos finalmente trocar emoções. Tínhamos pouco tempo para conversar porque nosso ônibus  sairia em meia hora.

Levei as fotos da linda filha de Alair que mora em Israel, para esta mãe que passou os últimos 26 anos com a dor da saudade de um filho desaparecido que ela só viu ao nascer. Ao ver a foto, ela diz emocionada: " É a cara do irmão dela mais velho" Sim, de fato a Miriam, é própria mãe, tão parecida, mas agora precisamos da comprovação de um DNA para tirar qualquer dúvida.

Hoje, a Mirian em Israel, vai receber as fotos que tiramos da  Alair, sua mãe biológica e daqui para a frente, esperamos que a sociedade nos ajude a encontrar outras centenas de mães que também  tiveram seus bebês sequestrados e esperam por esse momento mágico do reencontro. Qualquer informação pode ser enviada para nosso email de contato.

Alair tem mais três filhos de outro casamento, irmãos que Miri, os quais ela quer muito conhecer.
O reencontro e abraços ainda vão ter que esperar um pouco,  dependem  de um exame DNA, que tem custos e infelizmente Alair não teria condições de pagar. 

Breve teremos mais informações a respeito.  

Ver mais:



Se você souber de informações sobre as outras mães, entre em contato. 

contato@desaparecidosdobrasil.org


Desaparecidos do brasil - Busca do passado

Segunda mãe localizada - Regina Lucia mãe de Doron

postado em 25 de fev de 2012 13:39 por Desaparecidos do Brasil   [ 5 de mar de 2012 13:02 atualizado‎(s)‎ ]


Doron foi um dos primeiros que chegou ao nosso pequeno grupo de voluntárias. Ele nasceu em 27/05/1988 em Recife, PE  e levado para Israel na mesma semana, onde foi adotado com o nome de Doron Levner sem o conhecimento da mãe, como veremos a seguir.

Não tínhamos muitos dados para pesquisa, apenas o nome da mãe, Regina Lúcia da Silva, duas fotos antigas e a informação de que ela teria  se mudado para S.Paulo em 1995.

Muitas pesquisas, muitos telefonemas,  muitos homônimos de Regina Lúcia e os meses foram passando, até que um dia conseguimos finalmente o indício  de uma possível localização de sua mãe.

Regina Lúcia, entre a surpresa e alegria, recebeu muito bem nossa amiga Cléo, que foi ao seu encontro para  confirmar se era de fato a mulher que procurávamos.


Ela nos conta:

Ela era muito jovem e trabalhava numa casa, em Recife,  quando engravidou e ficou com medo de contar para sua patroa, mas com o passar dos meses não foi mais possível esconder a gravidez, foi quando a dona da casa disse que iria ajudá-la e ela acreditou na bondade da patroa.

No dia do parto,  Regina Lúcia foi  levada a um hospital para dar a luz e no dia seguinte, ao ser liberada, sua patroa trouxe uma mulher que se apresentou  como "Regina" e disse que ela iria fazer toda a documentação. A patroa disse: "Amanhã você vê o bebê", e ela confiante acreditou. Quando no outro dia, a tal Regina apareceu, a mãe de Doron perguntou, "e meu filho?"  A mulher respondeu:" Vamos primeiro assinar os papéis", e a levaram para um local onde ela assinou a papelada que acreditava ser o Registro de Nascimento, mas nada do filho.  Prometeram entregá-lo em seguida mas os dias foram passando e todo dia,  Regina Lúcia que morava na casa da patroa,  perguntava para ela, cadê meu filho, até que um dia a patroa disse: Ele está em Israel, está bem cuidado, não tem com que se preocupar.

Em estado de choque e desgostosa, Regina Lúcia saiu daquela casa e foi trabalhar em outro prédio. Mais tarde se mudou para S.Paulo.  Hoje Regina Lúcia trabalha como cozinheira, conseguiu comprar um terreninho e montar uma pequena casinha onde mora com  seu outro  filho de12 anos.  Esse filho, sempre ouvindo a mãe falar de Doron, um dia chegou a escrever para o Programa do Gugu, mas não houve resposta.

Doron e Regina Lúcia não cabem em si de  tanta  felicidade em seus corações. Já conseguiram se ''ver'' pela internet e  Doron  está programando vir ao Brasil em breve,  enquanto isso, está aprendendo  um pouco de português para o dia tão esperado em que poderá abraçar sua mãe e irmão.

Ver mais:



Se você souber de informações sobre as outras mães, entre em contato. 

contato@desaparecidosdobrasil.org













DORON  Desaparecidos do Brasil

1-1 of 1