NOTÍCIAS

Laura Vitória de Oliveira Rocha

postado em 16 de jan de 2016 02:57 por DESAPARECIDOS DO BRASIL   [ 16 de jan de 2016 02:59 atualizado‎(s)‎ ]



Laura Vitória de Oliveira Rocha, 9 anos está desaparecida em Palmas-Tocantins

Divulgação no Facebook Acesse link
https://www.facebook.com/Amanda.iab/posts/10207089141521114?comment_id=10207102483614658&notif_t=feed_comment

Na mídia Vídeo mostra Laura Vitória um pouco antes de desaparecer  http://g1.globo.com/.../video-mostra-menina-saindo-de...

Detalhes do caso
.... 
http://surgiu.com.br/.../policia-nao-descarta-que-laura...

Caso segue em sigilo, vó acredita em rapto
http://conexaoto.com.br/2016/01/15/em-2015-186-pessoas-desaparaceram-no-tocantins-caso-da-menina-laura-segue-em-sigilo-e-avo-suspeita-de-rapto

Sequestro de Tiago chega ao fim

postado em 14 de out de 2015 10:48 por DESAPARECIDOS DO BRASIL



Com alívio e felicidade, é assim que Luciana Carvalho se sente após dois meses de muita

Sequestro de Tiago

angústia em busca do filho 
Tiago Carvalho de Lima,  de um ano e nove meses, sequestrado pelo pai.      

Segundo Luciana, que neste momento ficará sob os cuidados da Justiça, todo o seu drama teve início quando o pai da criança o pegou para passar alguns dias em sua companhia. Após o tempo estipulado, o responsável pelo bebê não o entregou a mãe, que o esperava para, juntos, irem a uma festa.

“Eles foram para passar dois dias e trazer no sábado porque eu iria para um aniversário com o neném. No horário eles não apareceram e nem deram notícia, e eu já estava esperando. Só ontem que eu recebi ele”, relembra a mãe agora aliviada.

Felicidade

Ainda visivelmente emocionada com o desfecho feliz da história de seu filho, Luciana Carvalho agradece, especialmente, a quem fez a denúncia. “Eu quero até agradecer a pessoa que fez a denúncia”, diz.
Sem revelar os planos para o futuro com o filho, Luciana, que não negou o nervosismo nos últimos meses, se diz feliz por estar ao lado de Tiago. “Eu fiquei muito feliz. Um pouco nervosa. Eu fiquei muito feliz quando eu vi ele”, repete a agora a sorridente mãe.

"Quando cheguei ele estava dormindo e eu fiquei chorando porque pensei que ele não fosse olhar para mim. Ai ele foi abrindo os olhos e sorriu para mim...! Eu fiquei muito feliz quando ele me abraçou e falou: mamaaaãe.."        

Resgate 

Tiago foi reconhecido através de uma matéria na TV que  falava sobre o drama da mãe, cujo filho tinha sido roubado.  

Após receber denúncia e com um mandado de busca e apreensão, a polícia militar chegou ao apartamento do pai, Breno Bruno Lima, onde ele mantinha a criança e provavelmente será processado por sequestro e cárcere privado.

A policia já havia realizado duas ações de busca e apreensão para tentar encontrar a criança. A primeira foi em Tucuruí, no Pará, onde o menino teria sido levado. A outra foi executada na casa da avó paterna.

Violência

Após um casamento de três anos conturbado, Luciana Carvalho conseguiu uma medida protetiva de urgência baseada na Lei Maria da Penha para manter o pai da criança longe. A advogada dela, Samira Dualibe, informou que tentará transferir a mãe e o bebê para uma casa abrigo, pois a família teme que a mãe a criança corram perigo.


- Fonte G1 Maranhão
                                                                                                                                                                                                                                                                            

















                                                        

Termina o sequestro de Tiago

postado em 23 de abr de 2015 12:24 por Desaparecidos do Brasil   [ 23 de abr de 2015 12:27 atualizado‎(s)‎ ]



Com alívio e felicidade, é assim que Luciana Carvalho se sente após dois meses de muita

Sequestro de Tiago

angústia em busca do filho 
Tiago Carvalho de Lima,  de um ano e nove meses, sequestrado pelo pai.      

Segundo Luciana, que neste momento ficará sob os cuidados da Justiça, todo o seu drama teve início quando o pai da criança o pegou para passar alguns dias em sua companhia. Após o tempo estipulado, o responsável pelo bebê não o entregou a mãe, que o esperava para, juntos, irem a uma festa.

“Eles foram para passar dois dias e trazer no sábado porque eu iria para um aniversário com o neném. No horário eles não apareceram e nem deram notícia, e eu já estava esperando. Só ontem que eu recebi ele”, relembra a mãe agora aliviada.

Felicidade

Ainda visivelmente emocionada com o desfecho feliz da história de seu filho, Luciana Carvalho agradece, especialmente, a quem fez a denúncia. “Eu quero até agradecer a pessoa que fez a denúncia”, diz.
Sem revelar os planos para o futuro com o filho, Luciana, que não negou o nervosismo nos últimos meses, se diz feliz por estar ao lado de Tiago. “Eu fiquei muito feliz. Um pouco nervosa. Eu fiquei muito feliz quando eu vi ele”, repete a agora a sorridente mãe.

"Quando cheguei ele estava dormindo e eu fiquei chorando porque pensei que ele não fosse olhar para mim. Ai ele foi abrindo os olhos e sorriu para mim...! Eu fiquei muito feliz quando ele me abraçou e falou: mamaaaãe.."        

Resgate 

Tiago foi reconhecido através de uma matéria na TV que  falava sobre o drama da mãe, cujo filho tinha sido roubado.  

Após receber denúncia e com um mandado de busca e apreensão, a polícia militar chegou ao apartamento do pai, Breno Bruno Lima, onde ele mantinha a criança e provavelmente será processado por sequestro e cárcere privado.

A policia já havia realizado duas ações de busca e apreensão para tentar encontrar a criança. A primeira foi em Tucuruí, no Pará, onde o menino teria sido levado. A outra foi executada na casa da avó paterna.

Violência

Após um casamento de três anos conturbado, Luciana Carvalho conseguiu uma medida protetiva de urgência baseada na Lei Maria da Penha para manter o pai da criança longe. A advogada dela, Samira Dualibe, informou que tentará transferir a mãe e o bebê para uma casa abrigo, pois a família teme que a mãe a criança corram perigo.


- Fonte G1 Maranhão
                                 

Família de jovem desaparecida não colabora com investigação, diz polícia

postado em 13 de abr de 2015 14:03 por DESAPARECIDOS DO BRASIL   [ 2 de jan de 2016 05:36 atualizado‎(s)‎ ]




Família de jovem desaparecida não colabora com investigação, diz polícia


Delegado afirmou que mãe e padrasto se contradizem em depoimentos.
Pertences da adolescente foram achados junto a ossada em Ribeirão Preto.


O CASO
A adolescente Gabriela Aparecida da Silva, de 12 anos, desaparecida desde 17 de março, em Ribeirão Preto (SP), saiu de casa para ir à escola, por volta de 12h, e deveria retornar às 18h30. Como a adolescente não retornou, a mãe Liliane Aparecida Ramalho, de 32 anos, se dirigiu à escola e encontrou o local fechado. Ao procurar pela filha na casa de amigas, Liliane recebeu a informação de que a filha não teria ido à aula naquele dia.
Peças de roupa e materiais escolares supostamente da jovem foram encontrados ao lado de uma ossada humana em um canavial próximo à cidade. Os restos mortais foram encaminhados para exames no Instituto Médico Legal (IML) da cidade.
Para o delegado Cláudio Sales Junior, a hipótese de os ossos serem de Gabriela não está descartada. No entanto, a polícia ainda tem dúvidas sobre como e quando a jovem desapareceu - a família relata que ela saiu de casa para ir à escola e não retornou mais. “Se você pegar os depoimentos desde o início das investigações, há muitas contradições, inclusive sobre o que a mãe fala e o que o padrasto fala”, afirmou.
Segundo o delegado, o envolvimento de familiares no caso não está descartado, porque a mãe e o padrasto não têm colaborado com os investigadores. “As informações que chegaram até nós não eram as informações reais do que estava acontecendo. Eu acredito que possa até existir algumas manobras para evitar que a polícia chegue até o culpado”, disse.
As condições em que os restos mortais foram encontrados apontam que vítima teria sido morta há mais de uma semana. O delegado enfatizou, porém, que somente o exame necroscópico poderá indicar se os ossos são mesmo da adolescente, bem como a causa da morte.
A ossada foi encontrada na tarde de domingo (12) em um canavial próximo à Rodovia Mário Donegá (SP-291), a cerca de cinco quilômetros do bairro Jardim Marchesi, onde Gabriela morava. Os ossos foram encontrados por funcionários de uma empresa que trabalhavam no local. Peças de roupas infantis, uma mochila escolar, cadernos com o mesmo nome da adolescente desaparecida e fones de ouvido estavam junto aos restos mortais. A mãe da garota, Liliane Aparecida Ramalho, de 32 anos, confirmou à polícia que o material era de Gabriela.

Fonte de Notícias: G1 Ribeirão e Franca


ATUALIZAÇÃO:

Mãe confirmou que mochila achada em Ribeirão Preto era de adolescente.
Gabriela, de 12 anos, desapareceu ao sair para escola, em 17 de março



ATUALIZAÇÃO -

Menina é enterrada quatro meses após desaparecimento
Polícia confirmou que ossada achada em abril é de Gabriela Silva, de 12 anos

Notícia - Leia mais...

1-4 of 4