NOTÍCIAS‎ > ‎

Desaparecimento da menina Emili completa três anos

postado em 26 de mai de 2017 11:59 por DESAPARECIDOS DO BRASIL   [ 26 de mai de 2017 12:03 atualizado‎(s)‎ ]


Emili desapareceu no dia 21 de maio de 2014, depois de ser levada pelo pai, Alexandre Anacleto, da casa de onde a menina vivia

Segundo a Delegada Milena de Fátima Rosa informou em recente reportagem, o caso continua em aberto.




Emili, na época com dois anos, foi vista pela última vez no dia 21 de maio de 2014, quando saiu da casa da mãe, Josenilda Miranda, com o pai, Alexandre Anacleto. Ele foi encontrado morto um dia depois, carbonizado dentro de um carro na praia de Itajuba, em Barra Velha. No local do crime não havia sinais da menina. Em junho daquele ano, dois adolescentes, de 13 e 15 anos assumiram ter ateado fogo no carro em que Anacleto foi encontrado. Os jovens afirmaram que Anacleto já estava morto, após mexer nos pertences da vítima, atearam fogo no carro para não deixar pistas.

A investigação do desaparecimento da menina Emili Anacleto ficou sob responsabilidade das Delegacias de Pessoas Desaparecidas, em Florianópolis, e da Delegacia de Proteção à Criança, ao Adolescente, à Mulher e ao Idoso (DPCami), de Jaraguá do Sul.

Em setembro de 2015, depois de uma série de manifestações de internautas, um agente do governo norte-americano que trabalha com desaparecidos, veio a Jaraguá do Sul colher amostras de DNA da mãe de Emili. Havia a suspeita de que uma menina encontrada morta nos Estados Unidos pudesse ser a garotinha de Jaraguá do Sul.

A idade não batia, e não havia qualquer suspeita de que a menina pudesse ter ido parar no exterior. Mesmo assim, foi feito um exame de DNA que descartou qualquer possibilidade de ser a mesma criança. A menina norte-americana foi achada carbonizada no Estado de Massachusetts, em julho.

Em outubro do ano passado, várias imagens foram divulgadas pela Polícia Civil de Santa Catarina mostrando como deve estar o rosto da menina.

As fotos feitas em Lages, pela papilocopista do IGP, Simone Macedo Ramos, mostram a progressão de idade e como deve estar a aparência física da menina.

Como a polícia mantém a esperança de encontrar a menina viva, fotos continuam sendo distribuídas. Informações ou pistas sobre a criança podem ser dadas para o DPCami (47) 3370-0331 ou para o disque denúncia da Polícia Civil, no telefone 181.

Fonte: AM JARAGUÁ

O retrato foi feito pelo Instituto Geral de Perícias (IGP), a pedido da polícia de Jaraguá do Sul.

Comments