- Caroline L. T Granier disputa judicial

"O nosso mais alto empenho deve ser o de desenvolver seres humanos capazes de, por eles próprios, darem sentido e direção às suas vidas."
 
 
   Caso - Caroline Leopoldo Terrazas Granier - 
 

         










O que se percebe em relação entre os pais de Caroline é a disputa jurídica em obterem o Termo de Guarda e Responsabilidade da filha, na qual esta disputa aparece carregada de conflitos e acusações entre ambos...."

 


Entenda o caso:

 Caroline foi criada pelo pai desde o seu nascimento e o atrito deu início quando houve a intenção da mãe em recuperar a guarda da filha.  Não houve entendimento entre os dois e iniciou-se uma série de  processos na justiça, culminando com a fuga de um pai  levando a criança para local desconhecido.  A mãe em represália lançou mão da internet e mídia acusando o pai de sequestrador e pedófilo. 

 José Manuel Terrazas Granir não é pai biológico, mas deteve  guarda da criança por longos anos,  durante os quais, segundo testemunhas, foi excelente pai . A mãe, abandonou-a durante um grande período da vida, nos quais o pai cumpriu com todos os seus deveres e direitos paternais.

Recentemente, já passados um ano do ocorrido, a Justiça decreta inconstitucional a ordem de prisão contra o pai, que embora não seja biológico, foi quem criou a menino desde o seu nascimento.

As acusações mútuas e contínuas, fortes e violentas envolvendo questões como  prostiuição, drogas,  pedofilia, sequestro, etc. sejam elas verdadeiras ou falsas não
são  saudáveis para esta criança. A justiça há de encontrar uma saída coerente em base no Estatuto da Criança  para que ela possa  seguir sua vida normalmente .
 
 E maio/2011 - Profissão Repórter da Globo, fez uma matéria sobre a questão da guarda de filhos de pais separados e convidou ambos a participarem.

 José Manuel, recém foragido não quis aparecer  e enviou e-mail para a redação do Globo Repórter colocando sua defesa e contra acusando Jussara.  A reportagem apurou os fatos e a conclusão pode ser assistida no vídeo.

 A história de Caroline no vídeo   está dividida, uma parte no início  e a segunda parte no final do vídeo que conta o caso  dela e de outras crianças também.